POSTAGENS

Dicas para passar na perícia médica do INSS

Vamos compartilhar nesta postagem algumas dicas para facilitar a concessão dos benefícios por incapacidade (auxílio-doença e aposentadoria por invalidez) no INSS. Mesmo seguindo rigorosamente todos os passos, não é garantia que você conseguirá o benefício, mas com certeza facilitará bastante.
 

Documentos médicos relacionados a sua incapacidade

No dia da perícia você deve levar somente documentos relacionados a sua incapacidade, aqueles documentos que te deram direito ao atestado médico.

Tome cuidado em não levar documentos em excesso, seja o mais objetivo possível, leve somente aquilo que está relacionado diretamente com a sua incapacidade.

Exemplo: se você tiver quebrado o braço e tem que ficar 60 dias em recuperação, leve somente o atestado médico desses 60 dias e todos os exames, receituários, prontuários médicos, fisioterapias e outros que sejam relacionados diretamente com seu braço quebrado.

Isto é muito importante, pois se você levar muito documento, a chance do perito nem olhar é muito grande. Mas se você levar tudo organizado e em pouca quantidade, o perito provavelmente vai dar atenção aos documentos.

 

Leve documentos pessoais e a carteira de trabalho no dia da perícia

Os documentos pessoais como RG e CNH são indispensáveis para poder ser atendido na perícia, afinal de contas eles precisam saber se você é realmente a pessoa que será periciada pelo perito.
 
Já a carteira de trabalho é muito importante levar junto para mostrar para o perito caso a empresa não esteja contribuindo de forma correta ou caso tenha dúvida sobre sua função exercida na empresa. A função exercida é um fator que pode ser determinante para concessão ou não do benefício por incapacidade.

Declaração do último dia de trabalho - DUT

Esta declaração do último dai de trabalho – DUT – é necessária para informar o INSS qual foi o último dia que você trabalhou na empresa antes de ficar incapacitado.

Isto acontece pelo fato de a empresa ser obrigada a pagar os 15 primeiros dias que você ficar afastado do trabalhou e o INSS banca o restante.

Exemplo: na DUT consta como último dia de trabalho dia 31/05/2022 e seu atestado médico é de 30 dias, neste caso, a empresa vai pagar os 15 primeiros dias normalmente e o INSS vai pagar através do benefício por incapacidade temporário (auxílio-doença) os outros 15 dias.

Então é interessante você levar esta declaração no dia da perícia e também anexar isto ao seu processo no portal do MEU INSS.

Se o seu empregador não souber como faz esta declaração, basta acessar o link abaixo do próprio INSS e imprimir. Neste modelo fornecido pelo INSS, você preenche a primeira parte e assina e a segunda parte é o seu empregador que preenche e assina no final.

Clique aqui para acessar modelo do DUT

Fique atento a sua postura na perícia

A perícia do INSS começa desde o momento que você entra na sala até a hora de sair. Não pense você que o perito vai analisar somente após você sentar e começar a falar, ele na verdade está mais preocupado de como você está se portando no momento da perícia do que nas perguntas que ele tem pra fazer pra você.

Trago como exemplo disso uma perícia de um cliente do nosso escritório e note o que está escrito no campo de EXAME FÍSICO destacado em vermelho:

No exame físico o perito destacou que no momento que meu cliente chegou na perícia ele tirou o casaco sem dificuldades e na hora de sair da perícia ele colocou o casaco também sem dificuldades. Isto foi o fator principal para o perito negar o benefício do meu cliente. Ele não analisou nada da documentação apresentada. Para o perito, ele colocar e tirar o casaco sem dificuldade era o suficiente para comprovar que não estaria incapacitado para trabalhar, pois, na cabeça do perito, se ele não tinha dor no ombro para fazer isto, ele poderia tranquilamente voltar ao trabalho.

Só para destacar, esta situação do meu cliente foi revertida no tribunal facilmente e concedido o benefício por incapacidade, afinal de contas, a perícia obrigatoriamente deve analisar os documentos médicos apresentados e fato de ele vestir um casaco sem dificuldades nem se compara com a de trabalhar o dia inteiro de pedreiro (profissão do cliente).

Enfim, fique atento a esses detalhes no momento da perícia, não fale demais, seja objetivo nas respostas, não fique de historinha. Afinal, quem fala demais acaba falando o que não deve.

Seja realista quanto as sua limitações incapacitantes

É comum as pessoas se acostumarem com a dor e achar que aquilo virou normal. Se o perito solicitar que você faça determinados movimentos, tente fazer eles mas demonstrando seu desconforto, não tente ser forte.

O mesmo se aplica em exageros, não fica fingindo uma dor que não existe. O perito faz isso todos os dias, ele sabe identificar quem está fingindo, tome cuidado com isto.

Mantenha seus documentos médicos atualizados

Sempre tenha em mãos documentos recentes e atualizados referente sua incapacidade.

É muito comum, no momento de pedir uma prorrogação do benefício por incapacidade, a pessoa levar documentos antigos. Se fizer isto, a probabilidade de ter o benefício negado é bem alto.

Então, principalmente na prorrogação do benefício, leva documentos atualizados, vá no seu médico antes da perícia para conseguir novo atestado.

Conclusão...

Com estas dicas você terá muita chance de ter seu pedido atendido pelo INSS.

Os peritos gostam de facilidade, pois eles atendem muitos casos por dia, então leve tudo organizadinho para ele analisar, tudo mastigadinho.

A maioria das perícias do INSS hoje em dia são negadas, então não dê bobeira, siga esse passo a passo para não dar sorte para o azar.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe com alguém que vai passar por perícia do INSS por agora. Assim você estará ajudando ele para ter sucesso na perícia.

 

Dúvidas e consultas podem ser tiradas através do nosso whatsapp clicando no botão verde “falar com advogado” ou deixe um comentário que responderemos o mais breve possível!

VEJA OUTROS POSTS ABAIXO

× Falar com Advogado